O QUE CAUSA E QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS DO ABSENTEÍSMO NAS ESCOLAS?

Redução de Absenteísmo na escolaRedução de Absenteísmo na escola

O absenteísmo é um problema que ocorre em diferentes universos. No mundo corporativo ele vem sendo debatido há algum tempo, mas como conseguir a redução de absenteísmo em escolas?

Quando falamos em absenteísmo nas escolas, pensamos imediatamente em alunos que se ausentam, cabulam ou simplesmente abandonam as aulas.

Mas é preciso considerar o problema a partir de outra perspectiva: professores ausentes. Qual é o real impacto causado pela ausência frequente de professores?

Quais são as estimativas de ausências diárias de professores na maior cidade brasileira? Como isso pode impactar diretamente a educação de crianças e jovens?

Nesse artigo, trataremos a respeito da ausência de professor em suas aulas, e como gerar uma redução de absenteísmo nas escolas e ambientes estudantis.

 

Como gerar uma redução de absenteísmo nas escolas?

 

Para que um problema seja devidamente combatido é necessário primeiro identificar sua grande causa.

Estima-se que mais de 10 mil professores faltem ao trabalho diariamente na cidade de São Paulo, tratando-se da rede pública. Acontece que com a ausência de um professor efetivo, os alunos são entregues aos cuidados de um profissional eventual.

O maior mal causado por essa situação é a quebra da linha que conduz os estudos. Ou seja, os alunos que estavam acompanhando determinado assunto com um professor são pegos de surpresa com outro tipo de atividade no meio da semana.

Alguns professores eventuais acabam procurando saber qual era a matéria abordada, para conseguir dar uma aula linear, mas ainda assim, o impacto é grande.

Alguns dos motivos mais comuns que levam professores a se ausentarem de sua função, e impedem a redução de absenteísmo são:

  • Moradia:

Profissionais que moram muito longe de seus locais de trabalho acabam encontrando mais dificuldades para chegar à escola. Dessa maneira, é mais comum que se ausentem com frequência.

  • Professores com várias atividades:

Professores que exercem várias outras atividades, como palestras, aulas em outras instituições, cursinho pré-vestibular e etc, são mais propensos a perderem aulas por conta dos demais compromissos.

  • Problemas de voz e transtornos psicológicos:

Todos nós já tivemos, na adolescência ou infância, um professor ou professora que foi lecionar completamente rouco e sem voz.

Isso acontece porque o uso constante das cordas vocais, muitas vezes em salas muito barulhentas, faz com que o professor force muito e desenvolva problemas.

Ao lado do estresse e demais transtornos psicológicos relacionados a uma rotina intensa de trabalho e a baixa valorização da profissão, os problemas relacionados à voz e garganta são um dos principais fatores referentes a ausência de professores.

O problema da ausência de docentes nas escolas é muito grave. A direção da escola deve pensar em estratégias que estimulem a presença frequente dos professores.

Os alunos são os principais impactados por essa prática, uma vez que acaba, tendo uma educação defasada e cheia de lacunas. É importante que a direção combine professores efetivos e eventuais para que conversem sobre o conteúdo lecionado.

Assim eles conseguem encontrar num consenso a respeito do que deve ser ensinado em sala diante de uma substituição.

Para conseguir uma redução de absenteísmo docente, as escolas precisam identificar o problema e manter diálogos frequentes com professores efetivos e eventuais.

Muitos desses problemas são bem pessoais, como o desencantamento com a profissão e a sobrecarga devido a outros empregos. Nesse caso, cabe à escola se reunir com o professor em questão e verificar a melhor maneira de diminuir a incidência de faltas.

 

Absenteísmo escolar: um problema a ser combatido

 

Combater o absenteísmo exige dedicação e profissionalismo de todos os envolvidos. É preciso considerar que problemas e imprevistos existem, e que a ausência, quando não é frequente, é normal.

Mas é também necessário criar estratégias para conter o impacto desses fatores na educação dos alunos.

Professores bem preparados e que consigam se dedicar integralmente a apenas uma escola seria o ideal. Mas o cenário de remuneração baixa e questionável acaba levando os docentes a atuarem em mais de uma escola.

Com isso, acontece o cansaço e o esgotamento físico e mental do profissional, e consequentemente sua ausência.

A direção da escola deve promover reuniões e conselhos para entender a raiz do problema e chegar à redução de absenteísmo, proporcionando um ambiente saudável e agradável para alunos e professores.

Se você é gestor, dono de uma escola e quer reduzir o nível de absenteísmo, e ainda reduzir os custos gerados pela contratação de professores substitutos. Nós podemos te ajudar. Clique no banner abaixo e saiba mais.